HEINZ BUDWEG 

Artista Plástico 

Biografia

Heinz Friedrich Budweg nasce na capital  da Alemanha  em Berlim em 01 de Maio de 1940, em plena Segunda Guerra Mundial.

Heinz tinha treze anos de idade quando o seu pai traz toda a família para São Paulo.

Forma-se no curso de Eletrotécnica pelo Mackenzie conforme orientação de seu pai, mas nunca exerce essa atividade. Descobre a sua paixão pelas artes, pelo desenho e pintura.

Torna-se autodidata como artista plástico, dominando técnicas diversas como: pintura acrílica, bico de pena, aquarelista, xilogravura e demais técnicas artísticas.

 

Ainda na década de 60, passa a descobrir o Brasil, a bordo de sua Kombi, transformada em ateliê ambulante. Apaixona-se em suas andanças pela cultura, folcore e costumes dos cablocos, caiçaras e pela cultura indígena e seus rituais, retratando seus caciques, seus rituais constituindo-se num de seus grandes motivos temáticos.  Heinz em sua kombi percorre 450.000 km  em terras brasileiras.

Paralelamente, abre uma agência de propaganda, atendendo à muitas corporações alemãs .

Em 1974, com suas ilustrações no  livro “Lendas Brasileiras” recebe o prêmio Jabuti, sendo o primeiro  de seguidas premiações.

Com o apoio da  FUNAI-Fundação Nacional do Índio, faz o retrato “in loco” dos principais caciques das tribos indígenas do Brasil.

Retrata de forma sublime os temas de nossa fauna, flora, nosso folclore e os grandes temas do povo indígenas: seus caciques, seus rituais e seus costumes.

É o criador do Projeto Tapajós na década de 90, contando com pesquisadores nacionais e estrangeiros, descobrem 18 sítios arqueológicos em todo o Brasil; com destaque ao “Santuário da Pedra Preta” datado de 6.000 a.C em plena selva amazônica.

Dentre suas inúmeras obras em todo o mundo, destaca-se o mural dos 150 anos de independência do Brasil, na sede da A.C.M Associação Cristã dos Moços em São Paulo, obra tombada pelo IPHAN-Instituto do Patrimônio Históricos e Artístico Nacional.

Assume a superintendência do Staden Institut e da Fundação Martius como forma de incentivar o intercâmbio Brasil-Alemanha.  Assume o Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo como Diretor de arquivo e do Museu José Bonifácio entre 2001/2003.

Expõe na cidade de Marília-SP na galeria do espaço Ponto Milani no final de 2015.

Como fruto de sua convivência com os índios Kalapalo do Alto Xingu, publica em 2017 o livro “Morená-Terra prometida aos espíritos abençoados” Mitologia do povo kalapalo do parque Nacional do Alto Xingu.

Atualmente mora na cidade de São Roque, interior de São Paulo, cercado de vegetação natural, local apropriado onde encontra inspiração para as suas telas de estilo pós-expressionista.

Artista Plástico.

www.heinzbudweg.com.br